Ascite abdominal: causas e tratamento

A ascite, que às vezes é chamada de hidropisia abdominal, não é uma doença separada, mas uma complicação de várias doenças independentes. E quase todos eles são extremamente perigosos para a saúde e a vida. Como é diagnosticada a ascite, o que a causa e é possível curá-la?

Ascite: uma doença ou sintoma?

Um acúmulo patológico de líquido na cavidade abdominal é chamado ascite. Uma pequena quantidade de líquido ascítico está sempre presente na cavidade peritoneal. Esse fluido está constantemente se movendo para os vasos linfáticos, e um novo toma seu lugar, e esse é um processo completamente natural. Mas, com alguns distúrbios no corpo, esse líquido começa a ser produzido em excesso ou deixa de ser absorvido. Como resultado, gradualmente se acumula e começa a pressionar os órgãos internos, prejudicando seu funcionamento.

Causas da ascite

A lista de doenças e distúrbios em que a ascite pode ocorrer é muito impressionante. Entre eles estão:

  • cirrose do fígado
  • algumas doenças oncológicas,
  • tuberculose
  • pancreatite
  • insuficiência cardíaca
  • endometriose, cistos e tumores ovarianos,
  • sangramento interno
  • doença renal
  • desnutrição e exaustão,
  • doenças do sistema endócrino.

No entanto, se uma pessoa é diagnosticada com ascite ascite, a cirrose hepática (a causa de 75% dos casos de ascite), doenças oncológicas (10% dos casos) e insuficiência cardíaca (5% dos casos) geralmente são as primeiras a serem suspeitas pelos médicos. Todas as outras doenças consideradas em conjunto representam apenas 10% dos casos de ascite na cavidade abdominal.

Obviamente, a ascite não ocorre em todas as pessoas que sofrem das doenças acima. No entanto, existem fatores de risco que aumentam as chances de desenvolver ascite: alcoolismo, dependência de drogas, hepatite, obesidade e colesterol alto, além de diabetes.

Sinais de patologia

A ascite da cavidade abdominal geralmente se desenvolve gradualmente por muitos meses e, portanto, a maioria dos pacientes não presta atenção nela por um período muito longo. Muitas vezes, as pessoas pensam que estão ganhando peso.

Nos estágios iniciais, a ascite é realmente difícil de notar: você precisa coletar pelo menos um litro de líquido. Somente depois disso os sintomas típicos da ascite começam a aparecer: dor abdominal, flatulência, arrotos e azia, falta de ar, inchaço nas pernas. À medida que o volume de líquido aumenta, o estômago também cresce, logo fica difícil para uma pessoa se inclinar. O abdômen assume a forma de uma bola, podem aparecer estrias e veias dilatadas.

Mas, para fazer um diagnóstico, existem poucos sinais externos - você precisa consultar um médico.

Diagnóstico

Começa com um exame visual e palpação do abdômen. Um médico experiente pode diagnosticar ascites já com base apenas nesses dados, mas métodos mais precisos são necessários para esclarecer. Não basta saber que o paciente tem ascite - é muito mais importante descobrir o que o causou.

Se houver suspeita de ascite, é prescrito o ultrassom da cavidade abdominal e do tórax - ele permite ver ascites e neoplasias ou alterações na estrutura do fígado. Às vezes, também é indicado o Doppler, mostrando o estado das veias.

A radiografia é outro método amplamente utilizado no diagnóstico de ascite. Este exame permite detectar tuberculose ou um aumento no tamanho do coração, o que pode causar acúmulo de líquido na cavidade abdominal.

A ressonância magnética e a tomografia computadorizada são métodos de diagnóstico muito precisos que permitem ver a presença de líquido, mesmo onde é difícil considerar com ultra-som e radiografia.

Em alguns casos, o médico pode encaminhar o paciente para laparoscopia, na qual a parede abdominal é perfurada e o líquido acumulado é levado para análise. Um exame de sangue bioquímico e exame de urina também são realizados.

Princípios de terapia

O tratamento da ascite sempre começa com o tratamento da doença subjacente que causou o acúmulo de líquido.

  • Nas ascites causadas por doenças cardíacas, são prescritos vasodilatadores, diuréticos e glicosídeos.
  • Nas doenças renais, são indicadas dieta com pouco sal e limitação da ingestão de líquidos.
  • Nos casos de distúrbios do metabolismo proteico, é prescrita uma dieta com um teor ideal de proteínas e transfusão de albumina.
  • Com cirrose, são utilizados hepatoprotetores.

Além disso, é prescrita terapia sintomática:

  • dieta com pouco sal (não mais que 2 g de sal por dia) e, em alguns casos, uma dieta completamente sem sal. Se a cirrose é a causa da ascite, você também deve limitar sua ingestão de líquidos,
  • preparações de potássio e diuréticos.

Durante o tratamento, o médico monitora alterações na condição do paciente e, em particular, seu peso. Se as medidas terapêuticas selecionadas funcionarem, a perda de peso deve ser de cerca de 500 gramas por dia.

Cirurgia

Se, por algum motivo, os métodos conservadores não derem o resultado esperado, é indicada a intervenção cirúrgica. Frequentemente, com ascites, o líquido é removido por drenagem gradual (se a quantidade for significativa). O cirurgião faz uma pequena punção no peritônio e insere um tubo de drenagem (laparocentese) nele.

Uma alternativa para esse método doloroso e de alto risco é a colocação de cateteres permanentes e orifícios subcutâneos. Como resultado, o líquido ascítico é removido à medida que se acumula. Essa abordagem facilita muito a vida dos pacientes, elimina a necessidade de punções repetidas, o que significa reduzir o risco de danos aos órgãos internos e inflamação.

A instalação do sistema é uma operação cirúrgica simples, durante a qual o médico insere a extremidade do cateter (feito de materiais hipoalergênicos) na cavidade abdominal, enquanto a porta em si (feita de titânio) é colocada por via subcutânea na região do arco costal. Para evacuar o líquido acumulado na cavidade abdominal, é necessário perfurar a pele e a membrana de silicone da câmara de porta com uma agulha especial. Através dele, o líquido da ascite é bombeado para fora. De maneira semelhante, você pode inserir medicamentos.

Às vezes é necessário o chamado desvio intra-hepático, no qual o médico cria uma mensagem entre as veias hepática e porta.

Em casos graves, pode ser necessário um transplante de fígado.

Prognóstico do tratamento

Quanto mais cedo a ascite for diagnosticada e o tratamento começar, maiores serão as chances de sucesso. Livrar-se da ascite nos estágios iniciais é muito mais fácil. Mas existem alguns fatores que afetam negativamente a eficácia da terapia - idade avançada, diabetes mellitus, hipotensão, câncer (e especialmente câncer de fígado), peritonite, bem como baixos níveis de albumina.

Ascites é mortal. Em aproximadamente 50% dos casos, se a nomeação de diuréticos não ajuda, o desenvolvimento da ascite termina tragicamente. Especialmente perigoso é a ascite no câncer - um resultado fatal é provável em cerca de 60% dos casos.

Possíveis complicações e risco de recaída

Deve-se lembrar que a ascite sempre piora o curso da doença subjacente, causando insuficiência respiratória, hidrotórax, hérnias, obstrução intestinal e uma série de outras complicações.

Mesmo que a ascite possa ser curada, você deve ter muito cuidado com sua saúde, pois sempre existe o risco de recaída. Portanto, mesmo após curar a ascite, você deve seguir uma dieta prescrita pelo seu médico.

O acúmulo de líquido na cavidade abdominal pode causar desconforto severo, mas mesmo antes que isso aconteça, outros sintomas aparecem. Você não deve deixá-los sem vigilância - não deixe de consultar um médico.


Se a quantidade de líquido na cavidade abdominal for inferior a 400 gramas, a ascite é quase imperceptível, mas nesta fase pode ser detectada através de exames instrumentais, pelo que o exame regular por um especialista é muito importante. Especialmente com oncologia ou cirrose diagnosticada.

O que é ascite

Este é um diagnóstico perigoso, caracterizado por um aumento da acumulação de líquido na cavidade abdominal. Outros órgãos importantes do corpo, como os pulmões e o coração, podem sofrer ascites. O problema não é de natureza inflamatória. O líquido acumulado no peritônio em volume pode chegar a 15-20 litros. Nas pessoas, essa doença é chamada de "estômago de sapo", propensa a um curso maligno. Para 75% de todos os quadros clínicos, essa é uma complicação da cirrose progressiva, e o principal objetivo do tratamento é suprimir sintomas alarmantes e prolongar o período de remissão.

Por que o líquido abdominal se acumula?

O peritônio, revestindo as paredes da cavidade abdominal, libera uma pequena quantidade de líquido, que na composição química é semelhante ao plasma sanguíneo. É necessário para o funcionamento normal dos órgãos internos, caso contrário, eles permaneceriam juntos. O líquido é absorvido e excretado ao longo do dia, mas sob a influência de fatores patológicos, esse processo natural pode ser interrompido. Com um desequilíbrio, a pressão intra-abdominal aumenta, o abdômen aumenta de tamanho. É necessário um diagnóstico urgente seguido de terapia complexa.

Razões

Esta doença é uma complicação da cirrose hepática e não apenas. Ele progride gradualmente no corpo, a princípio não se manifesta. Ascite abdominal é difícil de tratar com sucesso. No entanto, a cura ocorre se o principal fator patogênico for eliminado. As causas da doença ascítica são de natureza inesperada, as mais comuns são apresentadas abaixo. Isto é:

  • insuficiência cardíaca
  • neoplasias malignas,
  • pressão arterial venosa diminuída do fígado,
  • tuberculose abdominal,
  • o desenvolvimento de mesotelioma, pseudomixoma,
  • perturbação endócrina,
  • doenças femininas (do campo da ginecologia).

Por que há hidropisia do abdome em recém-nascidos

Ascites abdominais podem progredir em qualquer idade, e bebês com uma doença característica não são excepção. O processo patológico exacerba no pré-natal, é caracterizado por insuficiência hepática congênita. As infecções de uma mulher grávida causam essa doença em uma idade tão jovem. Entre estes, os seguintes diagnósticos:

  • rubéola de mulheres grávidas,
  • sífilis
  • toxoplasmose,
  • listeriose,
  • hepatite
  • herpes
  • sarampo.

Em risco estavam os recém-nascidos cujas mães durante a gravidez abusaram de drogas, drogas, álcool, produtos químicos. Além disso, a ascite progride em caso de transfusão de gestantes, com obesidade, diabetes tipo 2. Para que, desde os primeiros dias de vida, uma criança não tenha ascite na cavidade abdominal, não é recomendável que uma mulher grávida faça maquiagem permanente, tatuagens.

Como é que o acúmulo de líquido na cavidade abdominal

O principal sintoma da ascite peritoneal é o líquido livre na cavidade abdominal, que coleta e não é excretado naturalmente. Esse sintoma da doença provoca um aumento na cavidade abdominal em tamanho e, com o tempo, esse processo apenas progride. A princípio, o paciente não percebe as mudanças características na aparência, mas depois não pode forçar e relaxar o estômago. Sintomas adicionais de ascite são os seguintes:

  • dor abdominal
  • sinais de dispepsia,
  • ganho de peso
  • falta de ar ao caminhar,
  • barriga grande
  • azia, arrotos,
  • flutuação
  • desconforto geral
  • aumento do inchaço dos membros.

Como tratar a ascite

Tendo realizado radiografia e angiografia, o médico pode fazer uma previsão, determinar um regime de tratamento eficaz. A abordagem do problema é complexa e, para quadros clínicos avançados, não exclui uma operação para remover oncologia, laparocentese. Tudo depende dos sinais e sintomas do diagnóstico, das recomendações de um especialista. Primeiro, os médicos buscam remover o foco da patologia de maneira conservadora, mas se o líquido continuar se acumulando na cavidade abdominal, você não poderá ficar sem a cirurgia. Caso contrário, a oncologia apenas progride.

Como o hidropisia abdominal é tratado terapeuticamente

O principal objetivo da terapia medicamentosa para ascite é remover o acúmulo de líquido na cavidade abdominal por um método não invasivo. O tratamento é apropriado em um estágio inicial, quando o peritônio ainda não está completamente cheio de transudato. Com ascites, o médico prescreve diuréticos, preparações de cálcio. No primeiro caso, estamos falando de medicamentos como Veroshpiron, Diakarb, Lasiks, Torasemide, após o qual a água na cavidade abdominal desaparece. No segundo - comprimidos de cálcio, Panangin e Asparkam. Além disso, é recomendado o uso de complexos multivitamínicos.

Causas de acúmulo de líquidos no abdômen, ascite

As causas da ascite podem variar, mas a causa mais comum de acúmulo de líquidos no estômago é cirrose.

A ascite não pode ser chamada de doença hepática, mas o acúmulo de líquidos na cavidade abdominal geralmente é resultado de doenças graves do fígado, como cirrose. Segundo as estatísticas, 50% das pessoas que sofrem de cirrose hepática há mais de 10 anos têm ascite hepática.

Vale ressaltar que a ascite hepática indica um curso grave de cirrose e um possível resultado fatal. Cerca de metade dos pacientes morre 2 anos após a detecção de ascite desenvolvida na presença de cirrose.

Insuficiência cardíaca grave também pode causar acúmulo de líquido no abdômen - o desenvolvimento de ascites.

Em alguns casos, quando câncer de estômago no peritônio, o líquido começa a acumular, como resultado, as chamadas ascites do estômago são formadas. Os tumores se espalham para o revestimento interno do estômago, o que leva a um aumento no volume do abdome.

Então causas de ascite ou acúmulo de líquidos no abdômen estão associadas às seguintes doenças e patologias:

Doença hepática
Problemas cardíacos
Doenças do peritônio,
Doença renal
Doenças gastrointestinais
Infecção por tuberculose

Os principais sintomas da ascite

Os sintomas da ascite variam dependendo do estágio e da natureza do curso da doença.

Ascite moderada é frequentemente acompanhada de edema das extremidades inferiores, aumento do tórax, hérnia inguinal e umbilical. O paciente está preocupado com peso no abdômen, falta de ar, azia, problemas com as fezes. Esses sintomas da ascite são observados se a patologia se desenvolver gradualmente ao longo de semanas e meses.

Um sinal característico de acúmulo de líquido na cavidade abdominal é um abdome aumentado. O tamanho e a forma do abdômen dependem do estágio da doença.

Com ascites moderadas, o abdômen afunda e as veias da cavidade abdominal se expandem. Se o paciente toma uma posição horizontal, o estômago fica plano nas laterais, enquanto é macio, o chamado "estômago do sapo". Se você empurrar levemente o estômago para o lado, uma onda de resposta se forma no outro lado.

A ascite tensa da cavidade abdominal é caracterizada pelo aparecimento de um abdômen redondo, com pele tensa, brilhante e lisa. Nesse caso, a pele do saco herniário pode se tornar mais fina, o que leva à sua ruptura e à saída de uma certa quantidade de líquido ascítico. O paciente pode desenvolver insuficiência cardíaca e respiratória grave.

O líquido ascítico pode espontaneamente ser infectado e a peritonite se desenvolve. A peritonite pode levar à morte do paciente; portanto, se você encontrar sinais de ascite, não deve atrasar uma visita ao médico.

Etapas do início e desenvolvimento da ascite

Existem três estágios de ascite:

Ascites transitórias caracterizado pelo acúmulo no peritônio de um fluido com um volume de 400 mililitros, visualmente o fluido não é detectado. Nesta fase, o tratamento da ascite é bastante eficaz, enquanto a dieta e um regime de sal de água são suficientes,

Ascites moderadas caracterizado por um estômago mole. A ascite abdominal responde bem ao tratamento, enquanto são prescritas infusões de albumina e diuréticos. Pode ser necessária laparocentese - punção e remoção de líquido do peritônio. Mas o abuso desse procedimento pode levar à insuficiência renal e ao desenvolvimento do próximo estágio da doença,

Ascites tensas ou resistentes caracterizado por um grande acúmulo de fluido - até 20 litros. Nesse caso, o volume de líquido aumenta muito rapidamente, o volume do abdome e o peso do paciente. O tratamento da ascite nesta fase quase sempre requer um procedimento de laparocentese, como um dos métodos de terapia complexa.

Que tipo de dieta é necessária para a ascite (acúmulo de líquidos no estômago)?

Durante o tratamento da ascite, uma dieta especial deve ser seguida. O paciente é limitado em ingerir sal, frituras e alimentos ricos em amido.

Deve haver uma quantidade reduzida ou moderada de gordura na dieta; deve-se dar preferência às gorduras vegetais. Os carboidratos devem ser limitados.

Além disso, a ingestão de líquidos é limitada a 0,75-1 litros por dia.

A dieta para ascite envolve o uso dos seguintes produtos:

Carne magra
Peixe
Cereais
Frutas e vegetais
Coalhada
Verdes

Os pratos são fervidos ou cozidos no vapor, enquanto o sal não é adicionado. As frutas são consumidas na forma de compotas e geléia. Os vegetais podem ser cozidos, assados ​​e cozidos.

Com o acúmulo de líquido no estômago, é estritamente proibido beber álcool, especiarias, marinadas, temperos, café e chá forte.

Como se livrar do líquido no estômago com remédios populares

O tratamento da ascite com remédios populares apenas ajuda a eliminar o excesso de líquido, mas você pode se livrar completamente do acúmulo de água no estômago apenas quando a doença que o causou é eliminada. Portanto, o tratamento da ascite com remédios populares só pode ser um complemento ao tratamento médico.

Aqui estão alguns receitas populares para reduzir o acúmulo de líquido no abdômen:

As vagens de feijão são usadas como diurético para remover o excesso de líquido. Para preparar o caldo, use a casca de 20 a 30 vagens de feijão, que é derramada com 1 litro de água e fervida por 10 minutos. Em seguida, o caldo é insistido por 20 minutos e filtrado. Tome a infusão em porções de 200 mililitros: a primeira porção - às 5 da manhã, a segunda - 30 minutos antes do café da manhã, a terceira - 30 minutos antes do almoço, o volume restante - o mais tardar às 20 horas

A decocção de damasco ajuda a substituir o potássio perdido pelo uso de diuréticos. O caldo é preparado a partir de damascos frescos ou secos, pois este 1 copo de fruta é derramado com 1 litro de água e fervido por 40 minutos. 250-400 mililitros de decocção devem ser consumidos por dia,

A decocção de salsa ajuda a remover o excesso de líquido dos tecidos. Para preparar uma decocção, 300 gramas de salsa são fervidos por 30 minutos em 1 litro de água. O caldo é filtrado e tomado em 0,5 xícaras a cada hora da manhã.

Traga luz e bem ao mundo - compartilhe com os amigos

De onde vem o fluido no abdômen?

A cavidade abdominal é o espaço em que os órgãos abdominais estão localizados. De cima, é delimitado do peito pelo músculo respiratório - abertura, de baixo - pelos músculos que formam o diafragma da pelve. A parede frontal da cavidade abdominal é formada pelos músculos abdominais, pelas costas - pela coluna lombar e pelos músculos lombares.

O interior da cavidade abdominal é revestido por uma fina película de tecido conjuntivo - folha parietal de peritônio. Este último vai para os órgãos internos e os cobre do lado de fora - isso já é folha visceral de peritônio. Assim, a cavidade abdominal é o espaço entre as folhas parietal e visceral do peritônio. De fato, é uma lacuna estreita.

Na cavidade abdominal é constantemente produzido e absorvido fluido seroso. Sua principal função é que ele desempenhe o papel de um lubrificante que facilita o deslizamento dos órgãos internos entre si. Normalmente, cerca de 1,5 litros de líquido seroso são formados e absorvidos na cavidade abdominal por dia em um adulto. Constantemente está presente apenas em pequenas quantidades.

A produção e absorção de fluido seroso são dois processos que normalmente estão constantemente em equilíbrio dinâmico. Se o último é perturbado, o líquido se acumula no estômago, isso leva a alguns sintomas.

Quais doenças o líquido começa a acumular na cavidade abdominal?

Uma das principais causas de ascite é hipertensão portal, uma condição na qual a pressão aumenta veia porta - coleta sangue do intestino e do baço e flui para o fígado. As substâncias que são absorvidas no intestino entram primeiro no vaso. Células hepáticas - hepatócitos - processe algumas substâncias úteis e neutralize toxinas. É por isso que muitos medicamentos tomados na forma de comprimidos agem pior do que quando são administrados por via intravenosa: absorvidos no intestino, eles entram na veia porta no fígado e são destruídos lá.

Causas da hipertensão portal

Se o fluxo sanguíneo na veia porta estiver comprometido, ocorre hipertensão portal. A pressão arterial aumenta e penetra através da parede do vaso até a cavidade abdominal. Isso ocorre nas seguintes condições:

  • cirrose hepática, que, por sua vez, é causada pelas hepatites virais B e C, danos ao tecido hepático pelo álcool, doença hepática gordurosa não alcoólica,
  • insuficiência cardíaca, em que a estagnação e a pressão arterial aumentam veia cava inferiorcoletando sangue da parte inferior do corpo e depois dele - na veia porta,
  • obstrução e compressão da veia porta com um tumor,
  • Síndrome de Budd-Chiari - trombose da veia hepática no local onde flui para a veia porta.

Níveis reduzidos de proteína no sangue

O segundo mecanismo importante para o desenvolvimento de ascite é a diminuição dos níveis sanguíneos. proteínas de albuminaque fornecem pressão oncótica e ajudar a reter líquidos nos vasos. Quando o nível de proteína no plasma cai, o líquido entra no tecido, na cavidade do corpo. Inchaço, ascite, hidrotórax (acúmulo de líquido na cavidade pleural dentro do peito). Essa condição se desenvolve com patologias hepáticas (uma vez que as células hepáticas sintetizam albumina), função renal comprometida (síndrome nefróticaquando muita proteína é perdida na urina), deficiência de proteína durante o jejum.

Acumulação de líquido no abdômen com tumores malignos

O acúmulo de líquido na cavidade abdominal pode levar a tumores malignos, geralmente câncer de ovários, mama, estômago e intestinos, pâncreas, peritônio, útero, pulmão, fígado.

Causas da ascite no câncer:

  • As células cancerígenas que se espalham pela superfície do peritônio o irritam e fazem com que produza excesso de líquido.
  • Quando um tumor afeta os gânglios linfáticos, este último não pode fornecer uma saída normal de linfa da cavidade abdominal.
  • Um tumor ou metástase pode estar no fígado e interromper a saída de sangue através da veia porta.
  • Com danos no fígado, os hepatócitos deixam de produzir proteínas normalmente.

Causas do acúmulo de líquidos na cavidade abdominal

Freqüentemente, há ascites da cavidade abdominal na oncologia e em muitas outras doenças, quando a barreira e a função secretora das folhas peritoneais são interrompidas. Isso leva ao preenchimento de todo o espaço livre do abdome com líquido. O aumento constante do exsudado pode atingir até 25 litros. Como já mencionado, a principal causa de dano à cavidade abdominal é o contato próximo com os órgãos nos quais o tumor maligno se forma. O ajuste apertado das dobras do peritônio fornece uma captura rápida de tecidos próximos pelas células cancerígenas.

As principais causas de ascite na cavidade abdominal:

  • peritonite
  • mesotelioma peritoneal,
  • carcinose peritoneal,
  • câncer dos órgãos internos
  • polisserosite
  • hipertensão portal
  • cirrose do fígado
  • sarcoidose
  • hepatose
  • trombose da veia hepática,
  • congestão venosa com insuficiência ventricular direita,
  • insuficiência cardíaca
  • mixedema,
  • doenças gastrointestinais
  • introdução de células atípicas no peritônio.

Classificação

O excesso de líquido pode entrar na cavidade abdominal de várias maneiras, dependendo disso, dois tipos de ascite são classicamente distintos:

  • Transudativo ocorre devido a um aumento da pressão na veia porta e uma diminuição na pressão sanguínea oncótica. Além disso, no líquido da ascite, geralmente há pouca proteína.
  • Exsudativo - resultado de inflamação. É caracterizada por um alto teor de proteínas no líquido ascítico.

Esta classificação tem algumas desvantagens, portanto, atualmente, outra baseada em gradiente sérico de albumina ascítica (abreviado como SAAG). Este indicador indica a diferença entre os níveis de proteínas da albumina no soro e no líquido ascítico:

  • BaixoSaag característica de acúmulo de líquidos no abdômen durante processos inflamatórios (pancreatite, peritonite), função renal comprometida.
  • No altoSaag a ascite é provavelmente causada por hipertensão portal ou função cardíaca comprometida.

Quanto líquido pode acumular-se no estômago?

Em casos graves, até 35 litros de líquido podem se acumular na cavidade abdominal. Dependendo do volume e das manifestações clínicas, são distinguidos três graus de ascite:

  1. Suave: manifestações externas estão ausentes, o líquido pode ser detectado apenas durante o exame ultrassonográfico.
  2. Grau moderado: ascite leva a um aumento moderado no abdômen. Isso geralmente acontece se mais de 400 a 1000 ml de líquido se acumularem no estômago.
  3. Grau grave: sintomas graves ocorrem.

Quão perigoso é o acúmulo de líquidos no estômago?

A Clínica Européia tem uma oferta especial para drenagem de ascite em um hospital - 50.000 rublos.

O preço inclui:

  • Inspeção e consulta do cirurgião oncologista.
  • Exame de sangue geral, exame de sangue bioquímico, ECG.
  • Ultra-sonografia da cavidade abdominal com determinação do nível de líquido livre
  • Realização de laparocentese com navegação por ultrassom.
  • Terapia medicamentosa abrangente com o objetivo de restaurar o equilíbrio água-eletrólitos.

A remoção do líquido da cavidade abdominal é realizada usando as técnicas mais modernas, melhores práticas de médicos russos e estrangeiros. Somos especializados em tratamento de câncer e sabemos o que pode ser feito.

Nas mulheres

O líquido dentro da cavidade abdominal na população feminina nem sempre é um processo patológico. Pode ser coletado durante a ejaculação, que ocorre mensalmente em mulheres em idade reprodutiva. Esse líquido se dissolve sozinho, sem causar riscos à saúde. Além disso, a causa da água frequentemente se torna doenças puramente femininas que requerem tratamento imediato - inflamação do sistema reprodutivo ou gravidez ectópica.

A ascite provoca o desenvolvimento de tumores intraperitoneais ou sangramento interno, por exemplo, após a cirurgia, devido a trauma ou cesariana. Quando o endométrio que reveste a cavidade uterina cresce incontrolavelmente, devido ao qual se estende para além do órgão feminino, a água também se acumula no peritônio. A endometriose geralmente se desenvolve após uma infecção viral ou fúngica do sistema reprodutivo.

Nos homens

Em todos os casos de hidropisia no sexo forte, a base de violações de importantes funções corporais que levam ao acúmulo de exsudato é a base. Os homens costumam abusar do álcool, o que leva à cirrose hepática, e essa doença provoca ascite. Além disso, fatores como transfusão de sangue, injeção de estupefacientes, colesterol alto devido à obesidade, tatuagens múltiplas no corpo contribuem para o aparecimento da doença. Além disso, as seguintes patologias se tornam a causa de hidropisia nos homens:

  • lesão tuberculosa do peritônio,
  • distúrbios endócrinos,
  • artrite reumatóide, reumatismo,
  • lúpus eritematoso,
  • uremia.

Em recém-nascidos

O líquido no estômago é coletado não apenas em adultos, mas também em crianças. Mais frequentemente, a ascite em recém-nascidos decorre de processos infecciosos que ocorrem no corpo da mãe. Como regra, a doença se desenvolve no útero. O feto pode apresentar defeitos no fígado e / ou vias biliares. Por esse motivo, a bile estagna, o que leva a hidropisia. Após o nascimento de uma criança, a ascite pode se desenvolver no contexto de:

  • distúrbios cardiovasculares
  • síndrome nefrótica,
  • anomalias cromossômicas (doença de Down, Patau, Edwards ou síndrome de Turner),
  • infecções virais
  • problemas hematológicos
  • tumores congênitos,
  • distúrbios metabólicos graves.

Sintomas

Sinais de ascite A ascite depende da rapidez com que o fluido da ascite é coletado. Os sintomas podem aparecer em um dia ou por vários meses. O sinal mais óbvio de hidropisia é um aumento na cavidade abdominal. Isso causa um aumento no peso corporal e a necessidade de roupas maiores. Em um paciente na posição vertical, o abdômen fica pendurado como um avental e, na posição horizontal, está espalhado pelos dois lados. Com um grande volume de exsudato, o umbigo se sobressai.

Se a hipertensão portal se tornar a causa do hidropisia, um padrão venoso se forma no peritônio anterior. Ocorre devido a varizes das veias umbilicais e varizes do esôfago. Com um grande acúmulo de água no abdômen, a pressão interna aumenta, como resultado do qual o diafragma se move para a cavidade abdominal e isso provoca insuficiência respiratória. O paciente apresentou falta de ar pronunciada, taquicardia, cianose da pele. Existem sintomas gerais de ascite:

  • dor ou sensação de plenitude no abdome inferior,
  • dispepsia
  • flutuação
  • edema periférico na face e membros,
  • constipação
  • náusea
  • azia
  • perda de apetite
  • câmera lenta

Complicações

A doença em si é um estágio de descompensação (complicação) de outras patologias. As consequências do hidropisia incluem a formação de hérnias inguinais ou umbilicais, prolapso do reto ou hemorróidas. Essas condições contribuem para um aumento da pressão intra-abdominal. Quando o diafragma pressiona os pulmões, isso leva à insuficiência respiratória. Juntar-se a uma infecção secundária leva à peritonite. Outras complicações da ascite incluem:

  • sangramento maciço
  • encefalopatia hepática,
  • trombose da veia esplênica ou porta,
  • síndrome hepatorenal
  • obstrução intestinal,
  • hérnia diafragmática
  • hidrotórax,
  • inflamação do peritônio (peritonite),
  • resultado fatal.

Tratamento de ascite abdominal

Independentemente da causa da ascite, a patologia deve ser tratada juntamente com a doença subjacente. Existem três métodos terapêuticos principais:

  1. Tratamento conservador. No estágio inicial da ascite, a medicação é prescrita para normalizar o fígado. Se o paciente é diagnosticado com um parênquima de órgão de natureza inflamatória, são prescritos medicamentos adicionais que aliviam a inflamação e outros tipos de medicamentos, dependendo dos sintomas e da doença que causou o acúmulo de líquido.
  2. Sintomático Se o tratamento conservador não der resultados ou os médicos não puderem prolongar a remissão por um longo tempo, uma punção será prescrita ao paciente.A laparocentese da cavidade abdominal com ascite é realizada com pouca frequência, pois existe o risco de danificar as paredes intestinais do paciente. Se o líquido enche o abdome muito rapidamente, um cateter peritoneal é colocado no paciente para evitar o desenvolvimento de aderências.
  3. Cirúrgico Se os dois regimes de tratamento anteriores não ajudarem, uma dieta especial e transfusão de sangue são prescritas ao paciente. O método consiste em combinar a coleira e a veia cava inferior, na qual é criada a circulação colateral. Se o paciente precisar de um transplante de fígado, ele será submetido a uma cirurgia após um curso de diuréticos.

Preparações

O principal tratamento para a ascite é a medicação. Inclui o uso a longo prazo de diuréticos com a introdução de sais de potássio. A dose e a duração do tratamento são individuais e dependem da taxa de perda de líquidos, que é determinada pela diminuição diária do peso corporal e visualmente. A dosagem correta é uma nuance importante, pois a administração inadequada pode levar o paciente à insuficiência cardíaca, envenenamento, morte. Medicamentos comumente prescritos:

  • Diacarb. Inibidor da anidrase carbônica sistêmica com fraca atividade diurética. Como resultado da aplicação, a evolução da água aumenta. A droga causa a excreção de magnésio, fosfatos e cálcio do corpo, o que pode levar a distúrbios metabólicos. A dosagem é individual, é usada estritamente conforme prescrito pelo médico. Efeitos indesejáveis ​​são observados a partir da hemopoiese, sistema imunológico e nervoso, metabolismo. Contra-indicação para tomar o medicamento é insuficiência renal e hepática aguda, uremia, hipocalemia.
  • Furosemida. Um diurético de alça que causa diurese forte, mas a curto prazo. Tem um efeito natriurético, diurético e clorúrico pronunciado. O regime e a duração da consulta são prescritos pelo médico, dependendo das indicações. Entre os efeitos colaterais: uma diminuição acentuada da pressão arterial, dor de cabeça, letargia, sonolência, diminuição da potência. Furosemida não é prescrito para insuficiência renal / hepática aguda, hiperuricemia, gravidez, lactação, crianças menores de 3 anos de idade.
  • Veroshpiron. Diurético poupador de potássio de ação prolongada. Inibe o efeito de excreção de potássio, impede a retenção de água e sódio, reduz a acidez da urina. O efeito diurético aparece no 2º ao 5º dia de tratamento. Para edema com cirrose, a dose diária é de 100 mg. A duração do tratamento é selecionada individualmente. Reações adversas: letargia, ataxia, gastrite, constipação, trombocitopenia, irregularidades menstruais. Contra-indicações: doença de Addison, anúria, intolerância à lactose, hipercalemia, hiponatremia.
  • Panangin. Um medicamento que afeta os processos metabólicos, que é uma fonte de íons magnésio e potássio. É usado como parte de uma terapia complexa para ascite, a fim de compensar a deficiência de magnésio e potássio que é excretada durante o uso de diuréticos. Atribuir 1-2 comprimidos / dia para todo o curso de medicamentos diuréticos. Os efeitos colaterais são possíveis a partir do equilíbrio água-eletrólito, o sistema digestivo. Não prescreva Panangin na presença de doença de Addison, hipercalemia, hipermagnesemia, miastenia grave grave.
  • Asparkam. Fonte de íons magnésio e potássio. Reduz a condutividade e a excitabilidade do miocárdio, elimina o desequilíbrio dos eletrólitos. Ao tomar diuréticos, 1-2 comprimidos são prescritos 3 vezes / dia por 3-4 semanas. Talvez o desenvolvimento de vômitos, diarréia, vermelhidão da pele, depressão respiratória, convulsões. Não prescreva Asparkam em violação do metabolismo dos aminoácidos, insuficiência adrenal, hipercalemia, hipermagnesemia.

Ascites quilosa

Astite crônica é uma complicação rara de cirrose hepática no último estágio ou obstrução do fluxo linfático abdominal, inflamação intestinal crônica. O líquido ascítico nesse tipo de patologia tem um tom leitoso devido à presença de um grande número de células adiposas no transudato.

A forma quilosa da ascite também pode ser uma complicação da tuberculose ou pancreatite, lesões dos órgãos peritoneais.

Causas de líquido na cavidade abdominal

Quase 80% dos casos de acúmulo de líquidos no abdômen são causados ​​por processos patológicos no fígado e cirrose na fase final da descompensação , caracterizada por depleção de recursos hepáticos e distúrbios circulatórios significativos, tanto no próprio órgão quanto no peritônio.

Outras causas hepáticas incluem:

  • hipertensão portal.
  • hepatite crônica (incluindo álcool).
  • obstrução da veia hepática.

9-10% dos casos de ascite estão associados a patologias oncológicas dos órgãos abdominais,metástases no estômago . As causas nas mulheres geralmente estão na oncopatologia dos órgãos pélvicos.

Nas neoplasias malignas, há uma deterioração da circulação linfática e um bloqueio das vias de saída linfática, como resultado do qual o fluido não é capaz de sair e se acumular.

Interessante: a ascite, que se desenvolveu como resultado de patologias de câncer, geralmente indica a morte iminente de uma pessoa.

5% dos casos de hidropisia abdominal estão associados a patologias do músculo cardíaco acompanhada de descompensação da circulação sanguínea. Os médicos chamam essa condição de "ascite cardíaca".

É caracterizada por edema significativo das extremidades inferiores e, em casos avançados, edema de todo o corpo. Por via de regra, com doenças cardíacas, o líquido é acumulado não apenas no estômago, mas também nos pulmões.

Raramente, hidropisia do abdômen pode ser causada pelas seguintes condições:

  • patologias renais, como amiloidose, glomerulonefrite.
  • doença pancreática.
  • trombose da veia porta.
  • tuberculose do peritônio.
  • expansão aguda do estômago.
  • Linfogranulomatose.
  • Doença de Crohn.
  • linfangiectasia intestinal.
  • fome de proteína.

Observa-se acúmulo de líquido no abdome e no espaço retroperitoneal não apenas em adultos, mas também em recém-nascidos .

Entre os fatores para o desenvolvimento de ascite nesta categoria de pacientes, estão:

  • síndrome nefrótica congênita.
  • doença hemolítica que ocorre em uma criança devido à incompatibilidade do grupo e ao fator Rh do sangue na mãe e no feto.
  • várias doenças do fígado e dos ductos biliares.
  • enteropatia exsudativa, adquirida hereditariamente.
  • deficiência de proteína levando a distrofia grave.

O conceito de ascite

O líquido no abdome é considerado um diagnóstico perigoso, que é acompanhado por um forte acúmulo de água na cavidade abdominal. Outros órgãos também podem sofrer com esse fenômeno: pulmões, coração e estômago. Ascite não é uma doença inflamatória.

O líquido coletado em volume pode atingir até 20 litros. Na prática, esse tipo de doença é geralmente chamado de estômago de sapo. Nesse caso, a doença geralmente adquire um curso maligno.

Causas de acumulação de água no abdômen


Por que o líquido se acumula no estômago? O peritônio é um revestimento que reveste todos os órgãos localizados na região abdominal. Libera uma pequena quantidade de líquido, cuja composição é semelhante ao plasma. Este processo é necessário para o funcionamento normal dos órgãos internos. Se não houvesse peritônio e líquido, eles permaneceriam juntos.

O líquido é absorvido e excretado durante o dia. Mas se fatores adversos forem afetados, esse fenômeno poderá ser perturbado. Durante o desequilíbrio, ocorre um aumento na pressão intra-abdominal. Neste contexto, há um aumento significativo no abdômen.

Então, por que o líquido se acumula no estômago? Se houver excesso de água no abdômen, os motivos podem estar nos seguintes:

  • insuficiência cardíaca
  • o aparecimento de tumores malignos,
  • violação da pressão da zona portal do fígado,
  • tuberculose abdominal,
  • a ocorrência de mesotelioma ou pseudomixoma,
  • violação da funcionalidade do sistema endócrino,
  • presença de doenças ginecológicas.

O acúmulo de líquido no abdômen também pode ocorrer em recém-nascidos. Um fenômeno patológico começa a se formar no estágio pré-natal. Nesse caso, uma violação da funcionalidade hepática é observada. Na maioria das vezes, uma doença de natureza infecciosa no estágio da gestação se torna um fator decisivo.

Se o recém-nascido tiver líquido no abdômen, as causas podem estar ocultas em:

  • rubéola em mulheres grávidas,
  • sífilis
  • toxoplasmose,
  • listeriose
  • hepatite
  • infecção por herpes
  • sarampo.

Crianças em risco são pais cujos pais abusaram de drogas, álcool, produtos químicos e drogas durante a gravidez.

Por tudo isso, a ascite pode progredir com uma transfusão de sangue em mulheres grávidas, obesidade e diabetes tipo 2. Para que o bebê não sofra dessa doença desde os primeiros dias de vida, a gestante não deve fazer maquiagem e tatuagens permanentes.

Tratamento da ascite - acúmulo de líquido no abdômen


Se houver água no estômago, o que devo fazer? Tendo realizado radiografia e angiografia, o médico já pode fazer um diagnóstico preciso e prescrever um tratamento eficaz. A abordagem para o problema existente é abrangente. Se um estágio avançado ou complicações são observadas, uma intervenção cirúrgica é realizada.

Todo o processo de tratamento depende dos sinais e do diagnóstico. No início, os médicos estão tentando resolver o problema de forma conservadora, mas se o fluido continuar acumulando, você não poderá prescindir de um procedimento cirúrgico.

Tratamento terapêutico

Você não precisa fazer nada sozinho. O principal objetivo da terapia medicamentosa é eliminar o líquido acumulado na cavidade abdominal. Esse tratamento será eficaz apenas nos estágios iniciais, quando a cavidade abdominal ainda não estiver completamente preenchida com transudato.

Além disso, com esta doença, diuréticos e cálcio podem ser prescritos. Este método ajuda a remover toda a água do peritônio. Como método adicional, recomenda-se a utilização de complexos fortificados.

Tratamento cirúrgico

Se a doença é diagnosticada em estágios avançados, simplesmente não pode prescindir da cirurgia. Esse método só ajudará a eliminar o excesso de água, mas certamente não aliviará a causa.

Se o processo adquiriu uma forma oncológica, as manipulações são realizadas em várias etapas:

  1. Laparocentese. A cavidade abdominal é perfurada para remover todo o excesso de líquido do peritônio. Essas manipulações podem se arrastar por vários dias, portanto, a hospitalização do paciente será necessária.
  2. Cirurgia de desvio intra-hepático transjugular. O médico cria um ducto artificial entre as veias hepática e porta. Esse processo permite melhorar o metabolismo da água e estabilizar a pressão intra-abdominal.
  3. Transplante de fígado. Este tipo de intervenção cirúrgica é realizada durante a degeneração em uma formação maligna.

Em que tipo de cirurgia recorrer, apenas um médico deve decidir com base em evidências.

Dieting

Para evitar o desenvolvimento de complicações graves em termos de saúde, você deve aderir a uma dieta terapêutica especial. Uma dieta adequadamente selecionada reduzirá o acúmulo de líquido na zona abdominal e prolongará o período de remissão.

Ênfase especial deve ser dada aos alimentos ricos em potássio, são eles:

  • espinafre
  • toranja
  • damascos secos
  • batatas assadas
  • espargos
  • passas
  • cenouras
  • ervilhas verdes.

Os seguintes produtos devem ser removidos do menu:

  • pratos defumados e salgados,
  • produtos de pão
  • azeda
  • chocolate
  • nabo
  • alho
  • repolho
  • cogumelos
  • rabanete
  • bebidas de café
  • cebola.

Vale a pena limitar o consumo de ovos e laticínios.

Métodos tradicionais de tratamento de ascites

O tratamento de hidropisia nos estágios iniciais pode ser realizado usando métodos populares. Existem várias receitas.

    O primeiro caminho. Fazendo uma bebida de chá com talos de cereja.

Para a fabricação, você precisará de uma colher de matérias-primas e meio litro de água quente. O caldo é infundido por duas horas e depois filtrado. Tome o medicamento até três a quatro vezes ao dia em um copo. O segundo caminho. O uso de linhaça.

Para fazer uma decocção, uma colher de matéria-prima é retirada e despejada em uma caneca de água fervida. Após trinta a quarenta minutos, ele é filtrado. É tomado de manhã com o estômago vazio e à noite antes de dormir. O resultado pode ser visto em algumas semanas. O terceiro caminho. Fome.

De acordo com curandeiros tradicionais. Aconselha-se os pacientes com hidropisia a não comer alimentos por sete dias. Esta técnica deve ser seguida por dois meses. Você pode beber várias xícaras de chá com glicose por dia.

Durante o jejum, você pode limpar o intestino com água mineral. O tratamento dessa maneira deve ser feito gradualmente. Poucos dias antes disso, a quantidade de comida consumida é reduzida.

Essa técnica é melhor usada após consulta com um especialista. O jejum inadequado pode levar a efeitos adversos. Nesse caso, não se esqueça do cumprimento do regime de bebida. Mas a quantidade de fluido consumido não deve exceder um litro por dia.

Possíveis efeitos adversos

Se a ascite não for tratada por um longo período, podem ocorrer complicações graves. Líquido livre na área abdominal pode levar a insuficiência respiratória ou congestão cardíaca. A causa desse fenômeno é um diafragma elevado. Exerce pressão significativa nos pulmões e vasos grandes.

Quando uma infecção é anexada, a peritonite pode ser observada. Nesses casos, é necessária intervenção cirúrgica urgente, caso contrário, tudo pode ser fatal.

Acredita-se que a ascite se desenvolva apenas nos últimos estágios da doença. Esse processo é considerado incurável, mas existem diferentes maneiras que ajudam a manter a condição do paciente no nível e até levam a melhorias. O perigo da doença é o desenvolvimento de doenças terríveis na forma de cirrose ou tumor. Portanto, não ignore os sintomas da doença e consulte um médico em tempo hábil à primeira suspeita.

Como remover líquido no abdômen por métodos cirúrgicos

Se a ascite for diagnosticada em estágio avançado, o transudato não poderá ser dispensado. Dessa forma, você pode remover temporariamente a barriga grande, mas se a causa da doença não for eliminada, seus sintomas logo se lembrarão novamente. É importante entender que estamos falando de oncologia, e você não pode prescindir da cirurgia. A cirurgia para ascite envolve o seguinte:

  1. Laparocentese Uma punção abdominal é realizada para descarregar ainda mais o líquido da ascite. O procedimento pode demorar vários dias, requer hospitalização do paciente.
  2. Cirurgia de desvio intra-hepático transjugular. O cirurgião forma um ducto artificial entre as veias hepática e porta para garantir a troca de água e estabilizar a pressão intra-abdominal.
  3. Transplante de fígado. A operação é apropriada para oncologia, grau avançado de cirrose.

Diet

Para excluir complicações graves de saúde, é necessária nutrição médica. Além disso, uma dieta adequadamente selecionada para ascite reduz o acúmulo de líquido na cavidade abdominal, prolonga o período de remissão e elimina sintomas alarmantes. A ênfase principal é necessária nos ingredientes alimentares, que contêm uma grande quantidade de potássio. Isto é:

  • espinafre
  • toranjas
  • damascos secos
  • batatas assadas
  • espargos
  • passas
  • cenouras
  • ervilhas verdes.

Métodos cirúrgicos

Quando a ascite progride e o tratamento não ajuda, em casos especialmente avançados, o tratamento cirúrgico é prescrito.Infelizmente, está longe de ser sempre possível, mesmo com a ajuda da operação, salvar a vida do paciente, mas hoje não existem outros métodos. O tratamento cirúrgico mais comum:

  1. Laparocentese O exsudato é removido através de uma punção do abdômen sob orientação de ultra-som. Após a operação, a drenagem é estabelecida. Em um procedimento, não são removidos mais de 10 litros de água. Ao mesmo tempo, soro fisiológico e albumina são pingados. Complicações são muito raras. Às vezes, processos infecciosos ocorrem no local da punção. O procedimento não é realizado para distúrbios da coagulação sanguínea, inchaço grave, lesões intestinais, hérnia e gravidez.
  2. Cirurgia de desvio intra-hepático transjugular. Durante a operação, as veias hepáticas e portais são relatadas artificialmente. O paciente pode sofrer complicações na forma de sangramento intra-abdominal, sepse, desvio arteriovenoso e infarto hepático. Uma operação não é prescrita se o paciente apresentar tumores ou cistos intra-hepáticos, oclusão vascular, obstrução dos ductos biliares e patologias cardiopulmonares.
  3. Transplante de fígado. Se a ascite se desenvolver contra cirrose, pode ser prescrito um transplante de órgão. A chance de tal operação recai sobre alguns pacientes, pois é difícil encontrar um doador. Contra-indicações absolutas ao transplante são patologias infecciosas crônicas, distúrbios graves de outros órgãos e câncer. Entre as complicações mais graves está a rejeição de transplantes.

Assista ao vídeo: Ascite O que é, Causas, Sintomas e Tratamento. (Fevereiro 2020).